Friday, 2016 December 09 at 17:41 Posted by A COZINHA DOS QUILOMBOS News

Projeto Saberes e Sabores traz à Campinas a exposição fotográfica e lançamento do Livro “A Cozinha dos Quilombos

Projeto Saberes e Sabores traz à Campinas a exposição fotográfica e lançamento do Livro “A Cozinha dos Quilombos

O Projeto Saberes e Sabores teve inicio em janeiro de 2014 e seu objetivo principal é a pesquisa e a transmissão de conhecimentos da cultura negra através da gastronomia afro-brasileira e africana. O Espaço Cultural de Culinária Afro-brasileira e Africana – Saberes e Sabores, ou simplesmente Espaço Saberes e Sabores fica na rua Garça, 43, Vila Industrial, onde acontecerá a Exposição fotográfica e o lançamento do livro “A Cozinha dos Quilombos: sabores, territórios e memórias”, dia 20 de agosto de 2016 a partir das 12h. A Exposição fotográfica e o lançamento do livro “A Cozinha dos Quilombos: sabores, territórios e memórias” são resultados de um Projeto de Pesquisa desenvolvido pelo Instituto Dagaz, que mapeou e visitou 29 Comunidades Quilombolas no Estado do Rio de Janeiro, identificando histórias, costumes e suas culturas culinárias. Os Quilombos, conhecidos por abrigar os escravos refugiados no período colonial, se originaram em locais escondidos e fortificados, no qual os negros viviam de acordo com a cultura africana. Nessa época, o Brasil abrangeu centenas de quilombos, sobretudo, nos estados da Bahia, Pernambuco, Goiás e Alagoas. Ainda ativas por se localizarem em territórios afastados, as comunidades remanescentes tem presença resistente, também, no Rio de Janeiro. A exposição que será apresentada em Campinas, no Espaço Saberes e Sabores, é fruto do Prêmio Ponto de Memória do Ministério da Cultura em conjunto ao Instituto Brasileiro de Museus (IBAM), que contempla um site do projeto e honrou o Instituto no final de 2014. A mostra irá contemplar as obras dos fotógrafos Davy Alexandrisky, Wallace Feitosa e Lidiane Camillo.

Para a presidente do Instituto Dagaz, Marinêz Fernandes,o livro “A Cozinha dos Quilombos” é um passo importante para o registro da cultura afro-brasileira e seu reconhecimento. “O livro traz relatos e fotos dos pratos tradicionais das comunidades quilombolas que foram mapeadas e ainda revelou uma forma diferente de manifestar sua cultura, afetos e chamar atenção para questões sociais que ainda permeiam seu território, através da sua culinária”, explica Marinêz.

Este Projeto também foi impulsionado pela Lei de Incentivo à Cultura do Estado do Rio de Janeiro e obteve patrocínio da Concessionária de Energia Light. Além disso, em 2015, o livro também recebeu o prêmio de Cultura Afro-Fluminense promovido pela Secretaria de Estado de Cultura, em parceria com a Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (SEPPIR-PR).